domingo, 20 de dezembro de 2009

O Vento



Ela vem com o vento,
Sacudindo as roupas do varal,
Trazendo nos lábios um silencio mortal,
E nos olhos o segredo do tempo.

Vem, sacode meu mundo mais uma vez,
Agora não mais vou balançar,
Nem me entregar,
Ao vento pálido e frio mais uma vez.

Cada vez que o vento volta,
Destruir meu castelo de cartas,
Seguir em frente já me basta,
E o futuro me abre as portas.

Já não mais vai me encontrar,
Pois como vento agora eu sumo.
Sem rumo, sem casa, sem prumo.
Sem castelos para você derrubar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Campo de Troca de ideias
Evite comentários como: gostei!; Legal, passa no meu! entre outros...